"­Desejo Saúde - Uma empresa do grupo Sare."

Diabetes e Gravidez


\r\n São inúmeras as mudanças que ocorrem durante a gravidez, e não apenas físicas, mas também hormonais. Tais mudanças interferem no metabolismo dos carboidratos e podem desencadear, em algumas mulheres já predispostas, o diabetes mellitus gestacional (DMG) e, naquelas que já vivem com diabetes, uma piora no controle da glicemia. Estudos indicam que a obesidade entre adultos jovens, associada à gestações em mulheres com mais de 30 anos, elevará de forma significativa novos casos de diabetes gestacional nas próximas décadas. No Brasil, a atual incidência de diabetes é de 7,6%.
\r\n
\r\n O diabetes que surge durante a gestação pode tanto persistir como desaparecer depois do nascimento do bebê. Mulheres que já vivem com o diabetes devem saber da importância de planejar a gravidez, consultando tanto o médico endocrinologista como o obstetra para avaliar o seu estado atual de saúde e prevenir o surgimento de possíveis complicações desta doença, como a retinopatia e a nefropatia.
\r\n
\r\n A gestante com diabetes precisa idealmente ter o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar composta por: obstetra, endocrinologista, enfermeiro, nutricionista, psicólogo e um profissional de educação física. No início da gestação, o ideal é comparecer ao médico de 15 em 15 dias.
\r\n
\r\n A dieta da grávida com diabetes, que não é muito diferente da recomendada para as gestantes normais, deve ser controlada, ingerindo alimentos a cada 3 horas, divididos em café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Prefira consumir carboidratos de absorção lenta, composta por 50% de carboidratos; 30% de fibras e gorduras e 20% de proteínas.
\r\n
\r\n A prática de exercícios regulares de baixo impacto, como a hidroginástica e a caminhada, são essenciais, junto a uma dieta equilibrada, para a manutenção da glicemia materna nos níveis normais.
\r\n
\r\n Às vezes, porém, é necessária a suplementação de insulina para controlar a glicemia - esta não apresenta risco para o bebê, por não passar pela placenta. O que atravessa a placenta é a glicose, e isto sim traz riscos. Existem várias complicações maternas que são consequência do diabetes descompensado. Para o bebê, há o risco de malformacões e aborto espontâneo. O devido controle da glicemia durante a gravidez diminui a probabilidade de a criança vir a ter diabetes.
\r\n
\r\n Por: AgComunicado
\r\n       

\r\n