"­Desejo Saúde - Uma empresa do grupo Sare."

Gene pode estar relacionado ao nascimento prematuro


\r\n Até o momento eram desconhecidos quaisquer fatores genéticos associados a maior risco de partos prematuros. Entretanto, pesquisadores americanos e escandinavos acabam de apontar um gene relacionado ao nascimento prematuro. O achado pode levar a futuros tratamentos para um problema que acontece uma vez em cada oito gestações e que põe em risco a vida de milhões de pessoas em todo o mundo.
\r\n
\r\n Os pesquisadores partiram do pressuposto de que os seres humanos tiveram pouco tempo para se adequar a processos evolutivos relacionados ao trabalho de parto: um crânio de maiores proporções para acomodar um cérebro maior e o estreitamento da bacia para facilitar o andar bípede. A seleção natural diminuiu o tempo de gestação com relação a de outros seres, como mamíferos e primatas. Um feto menor e mais jovem traz menos complicações ao parto porque há menos desproporção entre sua cabeça e a bacia da mãe.
\r\n
\r\n Os cientistas buscaram genes que tiveram um processo acelerado de evolução na espécie humana, em comparação a outros primatas. Eles acharam 150 bons candidatos e observaram as diferenças genéticas em duas populações: 165 mulheres que tiveram partos prematuros e outras 163 que tiveram o parto dentro do período esperado. A prematuridade foi considerada nas gestações em menos de 37 semanas.
\r\n
\r\n Desta forma, os pesquisadores acharam as variações no gene responsável pela fabricação do receptor do hormônio folículo estimulante (FSHR). Logo após, confirmaram a presença das mesmas variações relacionadas à prematuridade em outras mulheres, desta vez na África, que deram à luz antes do tempo.
\r\n
\r\n O estudo foi publicado na revista PLoS Genetics e poderá influenciar no uso de técnicas genéticas que previnam e tratem partos prematuros.
\r\n
\r\n Fonte:    O Estado de S. Paulo

\r\n